terça-feira, 30 de janeiro de 2007


Ê Paraty...


Não me dê desculpas
Não fale nada,
não explique.
Temos almas tatuadas,
falamos a mesma língua,
somos viciados em tropeços
e recomeços
se não dá,
não força,
enche meu copo
encosta em meu ombro
e pinta minha vida
com alegria e poesia
o que não vem do corpo
também sacia.

0 reagiram: