terça-feira, 30 de janeiro de 2007



Pra quê tanta definição?
Se daqui a pouco me transformo...
Pra que tanto mergulho nas profundezas?
Pra que tanta filosofia?
Não é necessário,
eu sou quase nada,
o que não é sol e sal,
é
poesia.

0 reagiram: